Publicado em www.tempodemulher.com.br

Retardar o envelhecimento e ter um rosto sem rugas é desejo de muitas mulheres. Já pensou em retardar as marcas do tempo por meio da alimentação? Segundo o médico fitoterapeuta, acupunturista e homeopata Clement Hajian, as propriedades contidas em alguns alimentos ajudam a prevenir doenças e a ter um envelhecimento retardado e saudável.

Conheça alguns alimentos que, além de nos manterem saudáveis, proporcionam esse rejuvenescimento natural.

Mamão

Rico em betacaroteno, substância antioxidante que elimina os radicais livres, o mamão contém papaína, poderosa enzima antienvelhecimento com ação esfoliante da pele.

Kiwi

O seu conteúdo elevado de vitamina C ajuda a prevenir constipações. A vitamina C é um antioxidante que elimina os radicais livres e desempenha um papel fundamental no combate ao envelhecimento. Contém uma quantidade considerável de fibra, potássio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio e cromo, que têm um papel muito importante na prevenção de doenças cardíacas e diabetes.

Alho

Ajuda na manutenção do tecido conectivo e articulações, no processo de desintoxicação e no combate aos radicais livres. Para quem come carne a recomendação é de um dente de alho amassado ou triturado ao dia.

Tomate

Contém licopeno, um dos antioxidantes mais poderosos, que lhe dá a cor vermelha e tem "um papel antioxidante ativo que combate o envelhecimento, fortalece as paredes celulares, depura o organismo de substâncias tóxicas e aumenta as defesas". Tem vitamina E, um potente antioxidante. Também é rico em cobre (essencial para os ossos e cartilagens), ferro e fósforo.

Espinafre

Tem provitamina A e vitaminas C e E, todas elas antioxidantes. É fonte importante de vitaminas do grupo B, como folatos, B2, B6, B3 e B1, que possuem uma ação antienvelhecimento pelo seu papel como cofatores enzimáticos.

Aveia

Possui beta-glucanas, esse ativo reduz o desenvolvimento da inflamação cutânea e o processo inflamatório que aumenta o estresse orgânico, reduzindo os radicais livres.

Cenoura, abóbora, mamão, laranja, espinafre e brócolis, entre outros

Possui betacaroteno que auxilia na manutenção da pele, visão e sistema imunológico, combatendo os radicais livres.

Frutas Vermelhas e escuras

Morangos, amora, framboesa e açaí são ricos em fotoquímicos, uma substância que ajuda a neutralizar os radicais livres produzidos pelo organismo e atua também na desintoxicação, nesse grupo a campeã é a jabuticaba.




"Eu choro em casamentos. Qualquer casamento. Basta a noiva dar o primeiro passo que a levará ao noivo e ao seu futuro e pronto! Eu caio em lágrimas. Mas isso é novidade na minha vida. Sabe, nunca fui do tipo mocinha casadoira. Meu sonho de adolescência não envolvia véu ou grinalda, muito menos filhos e família feliz. Ainda que me casasse, pensava eu, não precisaria de cerimônia ou papel passado. Mas isso foi até conhecer meu marido...

Quando decidimos nos casar - e foi tudo muito rápido! - pensamos numa cerimônia civil, discreta, na casa onde já morávamos. No cartório, no dia de dar entrada na papelada, tive minha primeira surpresa comigo mesma. O funcionário do outro lado do balcão perguntou se eu mudaria meu nome. E eu, de repente, disse sim! E mudei. Com todas as aborrecidas consequências disso como ter que alterar todos os documentos, etc, etc. Nem liguei! Era aquilo que eu queria.

Depois veio o vestido. Bem, alguma coisa eu precisava usar no dia D, certo? Procurei meu amigo Paulinho Araújo, um dos mais criativos estilistas de noivas que já conheci, e avisei: nada muito tradicional, por favor. Só um vestidinho simples. E aí chegou o dia da prova. E a força dos rituais de pegou no contrapé de novo! O vestido que ele alinhavou era de sonhos. Mas sonhos de noiva! Branco. Ééééé, bran-co! Longo. Vesti. E passei mal. No sentido literal. Minha pressão caiu, fiquei lá, estatelada no sofá do atelier, inteiramente entregue ao meu antiprojeto de vida.

Hoje sei que as cerimônias são importantes pra que você incorpore, de fato, as novas etapas da vida. Não precisa ser, e raramente é, o felizes para sempre dos contos de fadas. Mas tem que ser verdadeiro, inteiro, profundo. Por isso choro em casamentos. Por que vivo, de novo, aquilo que eu nem imaginava que queria. E que hoje recomendo pra qualquer mulher".


Publicado em www.tempodemulher.com.br (Por Ana Paula Padrão)

"É preciso cuidar do broto pra que a vida dê flor e frutos..."

Foto: Pedro Augusto
A paciente Patrícia Carvalho mandou fotos do dia feliz em que a Manuela chegou ao mundo (na semana passada). O pré-natal do irmãozinho da Manuela também foi feito por mim. A família toda em momento coruja. Parabéns!


Publicado em http://www.tempodemulher.com.br/ - texto de Madson Moraes

Todo ciclo menstrual é aquele inferninho. As cólicas chegam e provocam verdadeiros incômodos. Conviver com essa dor e ainda render no trabalho, então, é um verdadeiro desafio. E você não está só: mais ou menos 50% das mulheres sentem cólicas menstruais em alguma fase da vida.

Já segundo um estudo publicado na Revista Brasileira de Medicina, são 33 milhões de brasileiras que sofrem cólicas menstruais a ponto até de atrapalhar a produtividade no trabalho. Segundo este estudo, o rendimento chega a ser reduzido em até 70%. E 30% das mulheres que sentem dor chegam até a se afastar do emprego por alguns dias.

O que é cólica menstrual?

A cólica menstrual, ou dismenorreia, é a dor que acontece no período menstrual. É uma dor pélvica provocada pela liberação de prostaglandina, substância que faz o útero contrair para eliminar o endométrio (camada interna do útero que cresce para nutrir o embrião), em forma de sangramento, durante a menstruação, quando o óvulo não foi fecundado.

"O útero é um órgão oco, sendo revestido internamento pelo endométrio. Quando o endométrio vai descamando, na época da menstruação (não houve fecundação e ele começa a descamar), libera uma série de fatores inflamatórios e o útero tem esse movimento, essa contração para expulsar esse sangue", explica a médica ginecologista e obstetra, Carolina Ambrogini.

Os principais sintomas

A cólica menstrual é uma dor que aperta, aperta, aperta e depois melhora. Ela pode vir acompanhada de enjoos, vômitos, desmaios se for uma cólica forte, sudorese (calafrios). Essa dor acontece no período menstrual: ou no 1º, 2º dia da menstruação ou nos dois dias que antecedem o período menstrual. É uma dor aguda e intermitente e, às vezes, torna a mulher incapacitada para diversas atividades. Quando essa dor é muito forte, pode estar associada a outros sintomas como náuseas, vômitos, dor de cabeça e nas mamas, inchaço.

A dismenorreia pode ser primária, causada pelo aumento na produção de prostaglandina pelo endométrio. Ou secundária, resultante de alterações patológicas no aparelho reprodutivo (endometriose, miomas, tumores pélvicos, fibromas, estenose cervical etc).

"A dismenorreia primária acontece desde os primeiros ciclos menstruais, ou seja, desde que quando menina menstrua pela primeira vez. E existe a dismenorreia secundária que, por exemplo, são casos onde a mulher não tinha dor e passou a ter ou essa dor se intensificou. Aí, têm que ser investigadas as patologias do útero que podem estar gerando essa dor", ressalta a ginecologista.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado, inicialmente, numa conversa com a paciente para ver o histórico dela e se, além da cólica, ela tem ou teve algum aumento de sangramento. Também é preciso ver se a mulher sempre teve cólica ou se isso foi se intensificando. É importante estabelecer o diagnóstico diferencial entre a dismenorreia primária e secundária para conduzir o tratamento adequado.

"Além do levantamento desse histórico clínico, exames de laboratório e de imagem ajudam nesse processo. No exame ginecológico nós tocamos o útero, apalpamos para ver se está aumentado ou não, pesquisamos o histórico de outras doenças como endometriose, por exemplo. Após esse exame físico, realizamos uma ultrassonografia pélvica, que é olhar a anatomia desse útero", explica Carol.

Tratamento

Para as mulheres com cólicas menstruais, algumas atitudes simples como a prática de exercícios aeróbicos e uma dieta rica em fibras ajudam a combater a dor. Mas se essa dismenorreia é secundária, em alguns casos pode ser necessário recorrer à cirurgia.

Para ficar claro, o tratamento depende do tipo de dismenorreia. "Se essa cólica é decorrente de outra patologia, você tem que tratar esta patologia. Se for um mioma, precisa ser tratado, e isto vale para as outras doenças. Se for apenas um caso de cólica natural, você pode recomendar um anti-inflamatório, que são substâncias que inibem as causas da dor", explica a ginecologista.

Dicas simples

Atividades físicas ajudam, em geral sim, a prevenir as cólicas menstruais. Mas atenção: se você está com cólica, além de tomar um anti-inflamatório, essa mulher precisa ficar na posição de bruços e colocar uma bolsa de água quente no abdômen inferior. A mulher pode ficar nesta posição até a dor melhorar e sempre que a cólica atacar, pode repetir o procedimento.

- Evite levar vida sedentária. Exercícios aeróbicos moderados ajudam a aliviar a dismenorreia primária.

- Coloque uma bolsa de água quente sobre a região abdominal quando estiver com cólica menstrual. Isso ajuda a diminuir a dor.

- Beba bastante água.

- Não se automedique e procure seu médico caso a dor seja intensa e insistente.

"Costumamos esquecer que não podemos impedir a mudança: tudo dança a coreografia sábia e implacável da impermanência. Mas a música daquilo que verdadeiramente nos toca com amor, não importa o quanto tudo mude - e tudo muda -, não deixa nunca mais de tocar e viver, de algum jeito, no nosso coração." - Ana Jácomo
Foto: etsy

Publicado em http://www.tempodemulher.com.br/

Alguns cuidados devem ser mantidos na alimentação para evitar a anemia ferropriva. Confira as dicas do pediatra Moisés Chencinski para você manter a saúde da sua família sempre em dia.

- Aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida.

- Após o 6º mês, se não puder mais ser mantido o aleitamento materno exclusivo, oferecer fórmulas infantis que são enriquecidas com ferro.

- É absolutamente contraindicada a oferta de leite integral a crianças abaixo de 1 ano de idade. É um dos fatores mais comuns de micro-hemorragias intestinais que podem levar à anemia.

- Após 1 ano de idade, a criança deve receber, no máximo, 3 refeições de leite (importante fonte de cálcio, proteínas, vitaminas). Nessa idade, a criança já deve receber a dieta da família, bem equilibrada, contendo cereais, vegetais, legumes, frutas, carnes.

- Nunca substituir uma refeição salgada (almoço ou jantar) por leite. A refeição fica incompleta, inadequada e desequilibrada, além de aumentar o aporte de cálcio que pode inibir a absorção do ferro, levando a mais anemia.

- As refeições salgadas devem conter alimentos ricos em ferro-heme (carnes, aves e peixes). O fígado oferecido de forma regular (a cada 2 semanas) é uma excelente fonte de ferro. Vegetais de folhas verde-escuras nunca devem faltar nessas refeições e podem ter, como facilitadores, alimentos ricos em vitamina C como tomate, além das frutas (como sucos ou sobremesas que podem ser uma laranja, acerola, morango).

- Refrigerantes, chás, café devem ser evitados em crianças por interferirem de forma negativa na absorção do ferro.
"Não é porque uma grande parte do mundo é indócil e frio...que você tem que deixar esvaziar os seus potes de mel"- Arnalda Rabelo

foto: etsy
"Quem quer sair de uma história, cala-se e vai embora.
As grandes dores são mudas.
E decisões definitivas não se demoram em explicações..." -
Marla de Queiroz

Foto: etsy
Frase by http://www.passarinhosnotelhado.com.br/


Artigo escrito por Margarete Ap. Volpi Arantes - (Psicoterapeuta Familiar e Casal; Psicóloga pela Unesp-Bauru; Pós-Graduada pela Puc-SP.)


"Para a este artigo refleti quanto as minhas próprias relações com meus pais, marido, filhos, amigos e pacientes, no o esforço necessário ás vezes que disponho a fim de compreender e ser compreendida. A comunicação é mais abrangente e complexa em nossas vidas do que nos damos conta, ao falarmos emitimos também as nossas preocupações, sentimentos, a visão de nós e do outro. Atrás de uma palavra ou expressão enviamos tantas mensagens, o outro que nos ouve poderá compreende-las influenciado por seus pensamentos e sentimentos.

Quando conturbada pode levar um casal a situações pouco confortáveis e até mesmo a separação. Quando as pessoas se unem, namoro, casamento e os diversos arranjos conjugais, ambas possuem características próprias de expressar o que sente e pensam, que absorveram ao longo da vida com suas famílias e outros relacionamentos, já estão treinados e habituados.

Ao se relacionarem com seus parceiros no intuito do cultivo do amor e a vida a dois, o amor não serve de tradutor e nem de cola se a comunicação está em déficit. Então se inicia o desencontro, quando um fala o outro não ouve, um simples pedido soa como uma ordem, uma reclamação sugere insatisfação e desqualificação.

São inúmeras as situações cotidianas onde a comunicação passa a ser utilizada como uma arma na luta de poder entre o casal levando-os a uma escalada de discussões stressantes e intermináveis, tornando-os tão envolvidos em quem está com a razão, impedindo desta maneira o cultivo do diálogo e do entendimento de significados de cada um, Não observando como o outro a recebe, se refugiam em seus mundos, procurando meios como Tv, atividades domésticas, filhos e até mesmos os amigos “como uma forma de nunca estarem a sós”.

Deste modo a relação já esta contaminada pelo não dito e pelas frustrações e mágoas que se acumulou em cada parceiro, neste momento qualquer palavra, gesto, olhar, atitude poderá contribuir para um ciclo vicioso, que se alimenta a cada movimento do casal mantendo-se como uma dança que o casal constrói por anos, até ocorrerem fatos na vida que exija do casal um rearranjo, podendo leva-los ao seu reencontro ou desencontro. Se a comunicação conturbada adoce o relacionamento, os diversos rios que alimentam esta relação, como interesse mútuo, admiração, confiança, fidelidade, perspectiva de futuro, construção da felicidade, interesse sexual, e o amor adoece junto. 

Não pretendo insinuar que a paixão não resiste ao desgaste do cotidiano, sugerir que, com o passar do tempo, uma história de amor perde o brilho, falar de tédio e afastamento, de desencanto e ilusões perdidas. Não tem de ser assim! 

Fomos embalados pelas histórias de príncipes e princesas que marcaram nossa infância, acreditamos que o casamento é uma garantia de eterna completude e que o encontro amoroso trará a segurança de um afeto incondicional e a excitação do mistério, sem perder jamais o brilho do efêmero. Mas a construção do amor se faz a cada dia. 

Os perigos se renovam, mudam de aspecto.É preciso estar alerta, para não se deixar seduzir pelas armadilhas da comunicação; é necessário ser forte e valente, para não ser tragado pelas areias movediças da mesmice. Sobretudo, é preciso ser sábio para reconhecer esses inimigos – que se escondem atrás de máscaras inocentes, como as contínuas concessões ao tédio, “ os pequenos descuidos para com o outro”. O diálogo é rico na manutenção do vínculo amoroso proporciona o respeito mútuo das características de cada um, o fortalecimento de suas afinidades, ele deve ser um alimento que se come junto para a continuidade e qualidade da relação".  

(Margarete Ap. Volpi Arantes-Psicoterapeuta Familiar e Casal; Psicóloga pela Unesp-Bauru; Pós-Graduada pela Puc-SP.)
 
"Noventa por cento do sucesso se baseia simplesmente em insistir".
Woody Allen, diretor de cinema

Publicado em http://www.tempodemulher.com.br/


Emagrecer com saúde e sem ficar flácida é mesmo um desafio. Com a chegada do verão, todo mundo quer ficar com o corpo em forma.

As academias ficam lotadas, a mulherada se joga na dieta, mas, algumas vezes, com uma alimentação que não ajuda muito a manter o tônus muscular. Aí vem o desespero: cai tudo!

Para emagrecer com saúde e combater a flacidez, a nutricionista Vivian Goldenberg
dá dez dicas bacanas. Ela conta que a dieta, neste caso, deve ser focada em combater os radicais livres, diminuir o acúmulo de gorduras e aumentar o tônus muscular.

Anote as dicas que ela passou ao Tempo de Mulher:

1 - Inclua na sua alimentação nutrientes antioxidantes que combatem radicais livres, responsáveis pelo precoce envelhecimento celular. São eles: vitamina A (ovos, leite, vegetais verdes e amarelo-alaranjados), vitamina C (brócolis, tomate e frutas cítricas, como laranja, acerola, limão, tangerina e maracujá), vitamina E (grãos integrais, folhas verdes, nozes, sementes de abóbora e gergelim), carotenóides (cenoura e abóbora) e selênio (leite, carnes e peixes).

2 - Evite alimentos com alto índice glicêmico, pois eles movimentam a insulina responsável por estocar o excesso de açúcar na forma de gordura no corpo. Fuja de frituras, massas, arroz, batata, doces e frutas como manga, banana, abacate.

3 - Consuma alimentos com baixo índice glicêmico. Frutas como pêra, ameixa e maçã, hortaliças, legumes e leguminosas (como feijão, lentilha, ervilha e soja). Eles ajudam a manter estável a insulina e afastam a fome por mais tempo.

4 - Exclua da alimentação embutidos como salsicha e linguiça, enlatados, biscoitos e salgadinhos. Eles liberam radicais livres.

5 - Inicie as refeições com alimentos fontes de proteína. Carnes, ovos, feijão, lentilha, grão-de-bico e ervilha mantémm a taxa de açúcar em um nível ideal e são ótimos para firmeza da pele.

6 - Acrescente nas receitas temperos e ervas antioxidantes como orégano, salsinha, tomilho, alho, limão e pimenta.

7 - Coma diariamente frutas cítricas como acerola, laranja, limão, kiwi, maracujá, goiaba. Elas contém Vitamina C, selênio e zinco que estimulam a produção de colágeno.

8 - Inclua na dieta, diariamente, alimentos com alto teor de colágeno. Vale gelatina pronta, gelatina em pó no suco, cápsulas de colágeno hidrolisado.

9 - Coma, ao menos três vezes por semana, salmão. Ele é ótima fonte de ômega 3, que aumenta a fluidez sanguínea e a presença de uma substância chamada DMAE - que age no tônus muscular.

10 - Use somente gorduras mono e polinsaturadas (gorduras do bem), que retardam a absorção do açúcar e reforçam a estrutura da membrana celular, mantendo o colágeno saudável. Aposte no azeite de oliva e nos óleos de canola, de girassol, de milho. Coma também amêndoas, nozes, castanhas e azeitonas.
Sou aficcionado pelo milagre da criação, seja das pessoas ou dos demais animais. Minha família foi presenteada há dois meses com a chegada de uma mamãe pássara. E a história não terminou (ainda bem!). Muitas das fotos da matéria abaixo são minhas. Clique no link abaixo e confira essa história.

Creuza Medeiros: Pássaros, encantos no nosso "canto": O máximo da alegria é ser presenteado com um brilhante? Afirmo que não. Para mim, os presentes gratuitos da Mãe Natureza, esses sim são eter...


"Aquilo a que a lagarta chama fim do mundo, o homem chama borboleta".
(Richard Bach)
Tive o privilégio de comemorar o Dia do Ginecologista (30 de outubro) ajudando duas mulheres de fibra a realizarem o sonho de trazer ao mundo seus filhos de parto normal: as mamães Fernanda e Vânia. Foram dois momentos emocionantes.

Enzo nasceu com quase quatro quilos na madrugada de domingo

 Enzo no colinho da vovó, bem acompanhado pelo papai Valdinei e mamãe Fernanda

Fernanda era só sorrisos, afinal conseguiu o sonho do parto normal, mesmo depois de uma primeira cesárea. Parabéns, Fernanda, seu esforço foi exemplar!

E...também chegou uma menininha rosada no pedaço...


Isabela nasceu no início da tarde do domingão

No início da noite mamãe Vania toda faceira com a filhota, com a felicidade por ter conseguido o parto normal estampada no rosto. Parabéns a Fernanda e Vânia pelo meu presente especial no dia do Ginecologista. 
                                      Crédito da foto: eakphotography
Publicado em http://www.tempodemulher.com.br/
Por Madson Moraes

Um milhão de brasileiros deve sofrer algum tipo de fratura ainda em 2011 por causa da osteoporose. A doença, que atinge 10 milhões de pessoas no Brasil, principalmente as mulheres, resulta da carência de cálcio no organismo e a forma mais visível é o jeito de andar curvado de pessoas mais velhas. Mas por que atinge mais as mulheres?

A deficiência na ingestão de cálcio, somada às alterações hormonais, tornam as mulheres mais vulneráveis à osteoporose do que os homens. Quando terminam as menstruações, entre os 45 e 50 anos, há uma queda significativa no nível de estrógeno no corpo feminino. Para o médico Bruno Muzzi Camargos, presidente da Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica, é importante fazer um controle regular da perda óssea da mulher. "Após a menopausa, a perda de massa óssea é acelerada podendo chegar a 5% ao ano. Esse ritmo cai após os 70 anos quando, apesar de haver perda, ela é mais lenta", explica.

Segundo o Ministério da Saúde, 1/3 das mulheres entre 60 e 70 anos sofre com a doença e o número sobe para 2/3 nas mulheres com mais de 80 anos. A osteoporose é agravada por fatores genéticos e por uma série de problemas relacionados ao estilo de vida como o sedentarismo, alimentação inadequada, fumo, álcool, café em excesso, entre outros.

O que é?

A osteoporose é uma doença osteometabólica que interfere diretamente na qualidade de vida dos pacientes: pode causar fraturas e alterações na caixa torácica, causando dificuldade de respiração, dor intensa, perda de altura e até mesmo a morte. Podemos dizer que a osteoporose é uma doença silenciosa. Em geral, a perda de massa óssea não apresenta grandes sintomas. Se o quanto antes uma possível deficiência na massa óssea for detectada e acompanhada mais eficiente será o tratamento, o que evita a necessidade de intervenção com medicamento e, principalmente, danos muitas vezes irreversíveis para o esqueleto.

O risco de osteoporose depende tanto do ganho de massa óssea adquirida até o final da maturação do esqueleto, entre os 20 e 30 anos, período denominado "pico de massa óssea", quanto do índice de perda da massa nas épocas posteriores a este período. Por isso, o cuidado com a saúde dos ossos deve começar desde a infância, com a ingestão das quantidades diárias recomendadas de cálcio.

Diagnóstico

O diagnóstico da osteoporose é realizado por meio da densitometria óssea, um exame recomendado para mulheres que se aproximam da menopausa, que estão na menopausa ou que já passaram por ela com o objetivo de detectar o quanto antes quadros da doença. Este exame avalia o conteúdo mineral do osso. Fazem parte do grupo de risco da doença pessoas com predisposição genética, mulheres na pós-menopausa e pacientes que tenham sofrido fraturas, tenham idade avançada ou façam uso de corticosteróides, anticonvulsionantes, anticoagulantes, além dos portadores de doenças inflamatórias crônicas.

Prevenção e tratamento

Para prevenir e tratar a osteoporose, além do uso de medicamentos, é possível investir numa dieta rica em cálcio, fazer exercícios físicos para fortalecer a musculatura e prevenir quedas, além de expor-se ao sol - o que promove a síntese da vitamina D, fundamental para a absorção do cálcio e para a mineralização do osso. "É bem mais barato prevenir a osteoporose e uma das medidas de prevenção consiste no fornecimento de cálcio aos ossos nas quantidades que eles necessitam diariamente", afirma Rogério Vidal de Lima, ortopedista especializado em Cirurgia de Colunas pelo Hospital das Clínicas e do Corpo Clínico do Hospital Albert Einstein.

A prevenção também evita o perigo das fraturas. As fraturas relacionadas à baixa densidade óssea são uma das principais causas de incapacidade permanente. Segundo o Ministério da Saúde, no ano de 2009, foram gastos no SUS quase R$ 81 milhões com fraturas de idosos. As mais graves ocorrem no colo do fêmur e nas vértebras da coluna, onde os ossos não se rompem de vez, mas ocorrem pequenas fraturas que somadas podem provocar o esmagamento das vértebras atingidas com consequente redução de estatura.


"Quero a delícia de poder sentir as coisas mais simples" - Manuel Bandeira


Não sinta pena de seu filho pela ausência do pai: "A mãe vai ter de ensinar ao filho que, seja por abandono, morte ou outro motivo, seu filho vai ter que aprender a lidar com a situação. Ela nunca deve tratar o filho como coitadinho", avalia Dra. Olga.

Crie seu filho para o mundo: É preciso entender que, apesar de ter arcado com todas as responsabilidades sozinhas, quando crescidos, os filhos tomam seus rumos. "Elas se apegam e depois se sentem abandonadas porque toda a sua vida girou em torno de exercer o papel de mãe. É a síndrome do ninho vazio", comenta Dra. Olga.

Seu filho mais velho não é o homem da casa: Eles têm que ser criados para ter independência, e o filho mais velho nunca deve ser tratado como o pai dos menores, caso a mulher tenha mais crianças em casa. "Tente dividir responsabilidades, já que precisa trabalhar, delegue tarefas", sugere Dra. Olga.

Não se anule da vida: A mulher não deve se colocar em último plano, precisa se deixar viver. "Normalmente a vez delas não chega nunca. É preciso cuidar de si, tem que ter tempo de ir ao cabeleireiro, ler um livro, sair, conhecer novas pessoas, se relacionar e até assistir novela. É encarar essas atividades com prazer, como um lazer, e nunca como uma obrigação", opina Dra. Olga.

"Optei por não ter mais ninguém, sou sozinha, mas não tenho solidão. Assumi essa condição numa boa e estou de bem com minha vida", relata a educadora Elenice, mãe de Fernanda e Paula. "Meu filho não tem ciúmes de mim, saio numa boa, ele conhece todos os meus amigos. Aliás, vive dizendo que quer ter um irmãozinho. Mas isso depende de eu arrumar uma pessoa bacana", diz Linara.

Dê o melhor de si: Dra. Sueli lembra que as mães realmente estão sobrecarregadas, principalmente por terem conquistado cada vez mais funções de grande responsabilidade no mercado de trabalho, mas que, apesar do cansaço, precisam se superar. "Às vezes vai faltar paciência, então é preciso se desdobrar. A mãe tem que fazer o seu melhor e lembrar que a criança já sofre uma ruptura por não conviver com o pai. O filho não tem culpa de o relacionamento não ter dado certo".

Quantidade não é qualidade: Independentemente do tempo que for destinar à criança, faça com dedicação. "A criança precisa ser alimentada fisicamente e emocionalmente com o amor de mãe, principalmente se o pai não for presente. Seu filho precisa de atenção, mas não se sinta sugada. Mesmo que o tempo seja menor, se esforce, supere limites, faça seu melhor", aconselha Dra. Sueli.

Não impeça seu filho de se relacionar com o pai: Pense que o contato é importante do ponto de vista emocional. A figura paterna pode ajudar a fortalecer a identidade, principalmente dos meninos, e fazer a diferença na segurança e equilíbrio da criação. "Quanto menos hostilidade e pirraça, melhor para a criança", lembra Dra. Sueli.

Não use chantagem para conseguir apoio financeiro: Conseguir dinheiro a qualquer custo não vale à pena, principalmente se pai e mãe não convivem civilizadamente. "Nunca usei minhas filhas ou fiz algum tipo de jogo com os pais delas para conseguir mesada, pensão ou qualquer outra coisa. Deixei-os livre para se aproximarem, eu preferia que dessem amor a elas, não dinheiro. No meu caso, tive condições de assumir, mas, sendo sensata, a parte financeira é bem complicada. Se possível, os dois precisam entrar em acordo pelo bem dos filhos. Mas se você tem como viver humildemente sem a ajuda deles, vá em frente. Para ficar junto, precisa ter amor", relata Elenice.

Não viva para se arrepender: Deixe de lamentar relações frustradas. "Não sou do tipo doméstica, mãezona, mas minha maneira foi apostar na educação. Sou professora, acho isso fundamental. Se o pai não ajuda, a mãe vende até o carro se for para investir em seu filho", acredita Elenice."Quando a mulher engravida muda totalmente sua visão. É uma vocação e esse sentimento ela tem que agarrar e se conscientizar de que sua vida vai mudar. Não podemos largar para nossas mães criarem. Enfrente tudo em prol de seu filho", aconselha a bancária Linara, mãe de Pedro.


"Seu tempo é limitado, então não percam tempo vivendo a vida de outro. Não sejam aprisionados pelo dogma – que é viver com os resultados do pensamento de outras pessoas. Não deixe o barulho da opinião dos outros abafar sua voz interior. E mais importante, tenha a coragem de seguir seu coração e sua intuição. Eles de alguma forma já sabem o que você realmente quer se tornar. Tudo o mais é secundário." - Steve Jobs

 
Frase retirada do blog www.passarinhosnotelhado.com.br


O caçulinha adora um colinho

Último ano como criança. No próximo, 13 aninhos, meu grandão!

A afilhada Ana Clara, simpatia e astral sem igual!

Vamos ver o colorido deste dia!

Vocês dizem: “Cansa-nos ter de conviver com as crianças.” Têm razão. Vocês dizem ainda: “Cansa-nos porque precisamos descer ao seu nível de compreensão”. Descer. Rebaixar-se, inclinar-se, ficar curvado. Estão equivocados. Não é isso o que nos cansa, e sim o fato de termos de elevar-nos até alcançar o nível de sentimentos das crianças. Elevar-nos, subir, ficar nas pontas dos pés, estender a mão. Para não machuca-las”- Janusk Korczak