"Gosto de borboletas.
Me fazem lembrar que na vida,
tudo se transforma. Sempre" .
Vanessa Leonardi

Publicado em www.passarinhosnotelhado.com.br



Publicado em www.tempodemulher.com.br

O papiloma vírus humano, o HPV, chegou para assumir de vez o papel de vilão para as mulheres. E não é por menos. Os dados sobre a doença impressionam: ela atinge 360 milhões de pessoas no mundo, é a quarta causa de morte de mulheres no Brasil atrás apenas do AVC (Acidente Vascular Cerebral), infarto e câncer de mama. Além disso, 90% dos casos de aparecimento do câncer de colo de útero são decorrentes da doença. Não dá para bobear com o HPV. Mas que raios de doença é essa mesmo?

O HPV é vírus sexualmente transmissível que causa lesões na pele ou mucosas. Essas lesões aparecem em forma de verrugas no aparelho sexual feminino ou masculino e têm um crescimento ilimitado. Dos 200 tipos de HPV que existem, 15 são oncogênicos (alto risco) e dois são a principal causa do câncer de útero.

Mulheres, todo cuidado é pouco

Segundo estudos do Instituto Nacional do Câncer (Inca), as mulheres são as maiores vítimas dessa doença. Por ano, são mais de 18 mil casos e quase 5 mil óbitos. Os estudos comprovam que 50% a 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas. Fique atenta aos sinais de alerta para você não bobear: o sangramento vaginal, corrimento e dor durante a relação sexual são indícios claros do aparecimento do vírus.

A maioria das infecções é transitória, ou seja, combatida espontaneamente pelo sistema imune, principalmente nas mulheres mais jovens. Qualquer pessoa infectada com HPV desenvolve anticorpos que poderão ser detectados no organismo, mas nem sempre estes são suficientemente competentes para eliminar os vírus. Grávidas, não há motivo para preocupação: o HPV não costuma afetar o feto e a sua presença também não impede um parto normal.

De acordo com o Inca, os tipos 16, 18, 31, 33, 45 e 58 têm alto risco para lesões e câncer. Já os 16 e 18 respondem por 70% dos casos de câncer de colo de útero. Os tipos 6 e 11 apresentam risco menor, chegando a provocar cerca de 80% das verrugas. Claro, não podemos esquecer os homens. Neles, o HPV pode levar a câncer no pênis, no ânus e na orofaringe.

A melhor arma é o diagnóstico precoce

Para o Doutor Alfonso Massaguer, ginecologista e obstetra pelo Hospital das Clínicas e Especialista em Reprodução Humana, a maioria das pessoas com HPV não apresenta qualquer sintoma e o diagnóstico da doença é feito com exame direto da secreção vaginal, biópsia ou raspado peniano naqueles que apresentam lesões ou verrugas. "A maioria das pessoas não apresentam qualquer sintoma, podendo manter o vírus ou eliminá-lo", afirma o especialista.

Como assim eliminar? Entenda que não há regra para o aparecimento dos sintomas. Eles podem nunca aparecer ou se manifestar em algumas semanas como verrugas, lesões vaginais, penianas ou no colo do útero. Ainda segundo o Dr. Alfonso, às mulheres saudáveis que não apresentam os sintomas nem é indicado exames.

Usar o preservativo ainda é a melhor alternativa para diminuir a possibilidade de se contrair o vírus durante a relação sexual. Dessa forma, é recomendada a camisinha até para casais que já estão juntos há muito tempo. O exame de Papanicolau, que consegue detectar no microscópio lesões que não são visíveis a olho nu, é fundamental para rastrear essas lesões iniciais. O objetivo é identificar para tratar o quanto antes essas lesões.

Vacinas para o vírus

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso da vacina contra o HPV para homens com idade entre 9 e 26 anos em agosto de 2011. A vacina quadrivante, a mesma que as mulheres já utilizavam, atua contra os tipos 6, 11, 16 e 18 da doença e tem efeito na prevenção de verrugas genitais externas. São três doses necessárias da vacina para a imunização, mas ela ainda não está disponível na rede pública.

"A vacina é a melhor prevenção. Aparentemente a vacina protege por muitos anos. O uso de preservativo também ajuda a prevenir, assim como evitar múltiplos parceiros ou parceiros promíscuos", avalia o ginecologista, que também é fundador da MAE (Medicina de Acompanhamento a Mulher), clínica especializada em reprodução assistida.

Não se esqueça sempre de fazer exames ginecológicos periódicos. Caso apresente os sintomas, procure um médico especialista caso tenha os sintomas do HPV ou procure os postos de coleta de exames do Sistema Único de Saúde (SUS) que existem aí na sua região. Os exames são gratuitos.

Ps- Em Cuiabá, com preço promocional, a vacina custa R$ 300.

O objetivo do chá de bebê é ajudar a futura mamãe a se equipar para esse início cheio de despesas, além de ajudá-la emocionalmente, mostrando que está em volta de amigos que podem apoia-la em mais esta fase de sua vida.
Por isto, o momento ideal para fazer o chá de bebê é por volta do 7° ou 8° mês de gestação.
Não é necessário nenhuma formalidade para o Chá de Bebê, o convite pode ser feito por telefone de preferência por uma amiga próxima à futura mamãe que irá solicitar uma lembrancinha específica para cada convidada.
Pode-se pedir o mesmo item para pessoas diferentes. Não esqueça de especificar no convite ou pelo telefone, os tamanhos corretos das peças, que devem variar de recém nascido ao pequeno e a cor desejada.
Evite, pedir roupas, poius trata-se de um item muito pessoal, e você pode não gostar de modelo ou cor, além de ser uma lembrança de um valor um pouco maior.
Apresentamos abaixo uma lista completa para um chá de bebê. Use seu bom censo para acrescentar ou excluir itens na lista de forma a adequá-la às suas necessidades e também ao número de convidados.
Algodão de bolinhas
Babador
Bonézinho ou chapéuzinho de tecido
Calça enxuta
Calça com pé de malha
Calça sem pé de malha
Camisa pagão de malha
Chupeta ortodôntica*
Chuquinha*
Cobertor
Colcha de piquê
Cortador de unha
Cotonetes
Creme para prevenção de assaduras
Escova de cabelo para bebê
Fita crepe
Fraldas de pano
Fraldas descartáveis
Gorrinho de lã
Lençol de berço c/ fronha (2 peças)
Lençol avulso
Lenços umedecidos*
Lixeirinha
Luvinha de malha
Macacão banho de sol, de malha
Macacão manga comprida
Macacão manga curta
Mamadeira para água*
Mamadeira para suco*
Mamadeira para leite*
Manta de linha
Manta de lã
Meia
Mordedor de borracha
Óleo para bebês*
Pente
Pratinho para frutinha
Sabonete neutro
Saboneteira
Sapatinho de linha
Sapatinho de lã
Tesourinha de unha
Termômetro para água
Termômetro comum
Toalha de banho com capuz(de plush ou atoalhada)
Toalha de fralda
Travesseiro

As pessoas com as quais nos relacionamos são sempre um espelho refletindo nossas próprias crenças, e simultaneamente nós somos espelhos refletindo as delas. Assim, o relacionamento é uma das mais poderosas ferramentas para o desenvolvimento - se olharmos honestamente para nossos relacionamentos, nós conseguiremos ver muito sobre como nós os criamos."  - Shakti Gawain

Publicado em www.passarinhosnotelhado.com.br





Publicado em www.tempodemulher.com.br

O dinheiro desaparece da sua conta tão logo entra? Está na hora de colocar tudo no papel e identificar quais são suas prioridades e investir no que é necessário.

Veja alguns passos de como fazer um orçamento doméstico útil:

- Registre tudo, as despesas com dinheiro, cheque e crédito. Só após saber o que você gasta poderá começar a dar pequenos passos no sentido de reduzir as suas dívidas ou aumentar as suas poupanças.

- Corte despesas, agora que você já sabe como gasta o dinheiro, é preciso começar a cortar algumas despesas para equilibrar as suas finanças pessoais. Não tenha misericórdia dos gastos, esse é o momento de decidir o que fica e o que vai.

- Decida o que pagar primeiro - Depois de ter eliminado o desperdício, agora você vai determinar o que é prioridade e vai pagar em primeiro lugar. Pague a dívida até ao final, não use o dinheiro pagando todas as dívidas em simultâneo.

Você sentirá um alívio enorme quando as dívidas começarem a desaparecer. O objetivo final será sempre a eliminação dos juros, que levam todo o seu dinheiro embora, através de um bom orçamento doméstico.

Reúna a família, explique a situação, peça ajuda no controle dos gastos. Empenhe-se, você vai conseguir!

 



 Publicado em www.tempodemulher.com.br

Doceira de profissão e poetisa por vocação, Cora Carolina tinha as mãos precisas para o verbo e para o açúcar. Apesar de se considerar mais cozinheira do que escritora dominava as duas artes, mesmo só tendo publicado seu primeiro livro aos 75 anos. Mas desde os 14 rabiscava os primeiros poemas.

Sem modernismos literários, Cora produziu contos e poesias sobre o cotidiano do interior brasileiro, principalmente de sua cidade Góias Velho, em Goiânia, onde nasceu e viveu a maior parte da vida. Leonina, de 20 de agosto de 1889, a escritora só deixou a cidade quando se casou com um homem 20 anos mais velho e se mudou para o interior de São Paulo, onde ficou por mais de 40 anos.

Nessa época era Ana Lins de Guimarães Peixoto Bretas, o pseudônimo Cora Coralina só veio mais tarde, aos 50 anos, depois de ficar viúva e assumir a literatura como a perda do medo. A morte do marido trouxe muitas dificuldades, financeiras e famíliares, mesmo assim a doceira nunca parou de escrever. Apenas com o primário, sem muito estudo, Cora era poderosa com as palavras. A falta de conhecimento quanto a regras gramaticais não prejudicou seu talento e vocação para poesia, que priorizava a mensagem ao invés da forma.

Somente quando Carlos Drummond de Andrade tomou conhecimento da poesia simples e rica de Cora Coralina ela passou a ser conhecida e admirada em todo o Brasil. Em 1983, foi a primeira mulher eleita intelectual do ano com o Prêmio Juca Pato da União Brasileira dos escritores. Dois anos depois, aos 94, Cora faleceu na casinha de Góias Velho, onde cozinhou histórias, adoçou a literatura e nos serviu a poesia.
"Até que num belo momento, depois de muito cansaço, depois de muito doer,depois de muita neblina, depois de muita busca, sobretudo, a gente descobre,contente que nem criança diante de novidade, onde o amor estava o tempo todo. Onde estava a chave. Onde estava o alimento. Maravilhados, começamos a cuidar de nós mesmos. Começamos a dedicar carinho e delicadeza a nós mesmos, esses que pensávamos que podiam vir somente dos outros.
Descobrimos que o interruptor que faz a vida acender esteve o tempo inteiro no nosso próprio coração." - Ana Jácomo- em http://www.passarinhosnotelhado.com.br/
Publicado em www.passarinhosnotelhado.com.br

As universidades de Harvard e Cambridge publicaram recentemente um compêndio com 20 conselhos saudáveis para melhorar a qualidade de vida de forma prática e habitual. São eles:

1- Um copo de suco de laranja diariamente para aumentar o ferro e repor a vitamina C.


2- Salpicar canela no café (mantém baixo o colesterol e estáveis os níveis de açúcar no sangue).

3- Trocar o pãozinho tradicional pelo pão integral que tem quase 4 vezes mais fibra, 3 vezes mais zinco e quase 2 vezes mais ferro que tem o pão branco.

4- Mastigar os vegetais por mais tempo. Isto aumenta a quantidade de químicos anticancerígenos liberados no corpo. Mastigar libera sinigrina. E quanto menos se cozinham os vegetais, melhor efeito preventivo tem.

5- Adotar a regra dos 80%: servir-se menos 20% da comida que ia ingerir evita transtornos gastrintestinais, prolonga a vida e reduz o risco de diabetes e ataques de coração.

6- O futuro está na laranja, que reduz em 30% o risco de câncer de pulmão.

7- Fazer refeições coloridas como o arco-íris. Comer uma variedade de vermelho, laranja, amarelo, verde, roxo e branco em frutas e vegetais, cria uma melhor mistura de antioxidantes, vitaminas e minerais.

8-Comer pizza. Mas escolha as de massa fininha. O Licopene, um antioxidante dos tomates pode inibir e ainda reverter o crescimento dos tumores; e ademais é melhor absorvido pelo corpo quando os tomates estão em molhos para massas ou para pizza.

9- Limpar sua escova de dentes e trocá-la regularmente. As escovas podem espalhar gripes e resfriados e outros germes. Assim, é recomendado lavá-las com água quente pelo menos quatro vezes à semana (aproveite o banho no chuveiro), sobretudo após doenças quando devem ser mantidas separadas de outras escovas. (Após uma gripe ou uma dor de garganta higienizar a escova com água sanitária)
10- Realizar atividades que estimulem a mente e fortaleçam sua memória… Faça alguns testes ou quebra-cabeças, palavras-cruzadas, aprenda um idioma, alguma habilidade nova… Leia um livro e memorize parágrafos.

11- Usar fio dental e não mastigar chicletes. Acreditem ou não, uma pesquisa deu como resultado que as pessoas que mastigam chicletes têm mais possibilidade de sofrer de arteriosclerose, pois tem os vasos sanguíneos mais estreitos, o que pode preceder a um ataque do coração. Usar fio dental pode acrescentar seis anos a sua idade biológica porque remove as bactérias que atacam aos dentes e o corpo.

12- Rir. Uma boa gargalhada é um ‘mini-workout’, um pequeno exercício físico: 100 a 200 gargalhadas equivalem a 10 minutos de corrida. Baixa o estresse e acorda células naturais de defesa e os anticorpos.

13- Não descascar com antecipação. Os vegetais ou frutas, sempre frescos, devem ser cortados e descascados na hora em que forem consumidos. Isso aumenta os níveis de nutrientes contra o câncer.

14- Ligar para seus parentes/pais de vez em quando. Um estudo da Faculdade de Medicina de Harvard concluiu que 91% das pessoas que não mantém um laço afetivo com seus entes queridos, particularmente com a mãe, desenvolvem alta pressão, alcoolismo ou doenças cardíacas em idade temporã.

15- Desfrutar de uma xícara de chá. O chá comum contém menos níveis de antioxidantes que o chá verde, e beber só uma xícara diária desta infusão diminui o risco de doenças coronárias. Cientistas israelenses também concluíram que beber chá aumenta a sobrevida depois de ataques ao coração.

16- Ter um animal de estimação. As pessoas que não têm animais domésticos sofrem mais de estresse e visitam o médico regularmente, dizem os cientistas da Cambridge University. Os mascotes fazem você sentir se otimista, relaxado e isso baixa a pressão do sangue. Os cães são os melhores, mas até um peixinho dourados pode causar um bom resultado.

17- Colocar tomate ou verdura frescas no sanduíche. Uma porção de tomate por dia baixa o risco de doença coronária em 30%, segundo cientistas da Harvard Medical School.

18- Reorganizar a geladeira. As verduras em qualquer lugar de sua geladeira perdem substâncias nutritivas, porque a luz artificial do equipamento destrói os flavonóides que combatem o câncer que todo vegetal tem. Por isso é melhor usar á área reservada a ela, aquela caixa bem embaixo.

19- Comer como um passarinho. A semente de girassol e as sementes de sésamo nas saladas e cereais são nutrientes e antioxidantes. E comer nozes entre as refeições reduz o risco de diabetes.

20- E, por último, um mix de pequenas dicas para alongar a vida:

- Comer chocolate. Dê preferência ao amargo - que é fonte de ferro, magnésio e potássio.

- Pensar positivamente. Pessoas otimistas podem viver até 12 anos mais que os pessimistas, que ademais pegam gripes e resfriados mais facilmente.

- Ser sociável. Pessoas com fortes laços sociais ou redes de amigos têm vidas mais saudáveis que as pessoas solitárias ou que só têm contato com a família.

- Conhecer a si mesmo. Os verdadeiros crentes e aqueles que priorizam o ’ser’ sobre o ‘ter’ têm 35% de probabilidade de viver mais tempo


"Em si, a vida é neutra. Nós a fazemos bela, nós a fazemos feia; a vida é a energia que trazemos a ela".

Osho

 

Por Malanny Serejo - todaperfeita.com.br

O sonho de muitas mulheres é engravidar, mas, por determinados fatores, elas não estão conseguindo realizar esse desejo. Um estudo divulgado pela American Society for Reproductive Medicine mostra que a probabilidade de engravidar aumenta nos dias anteriores à ovulação, considerado o 14º dia do ciclo.

Esse mesmo estudo também mostra que mulheres que têm relações sexuais diárias ou a cada dois dias nos dias que antecedem a menstruação tem uma probabilidade maior de engravidar do que se tiverem apenas uma relação na época fértil. A observação do muco cervical na data da ovulação pode, também, aumentar as chances de gravidez. Onde, o muco claro e cristalino na época da ovulação é um bom sinal de fertilidade.
Acompanhe as dicas abaixo, dadas por ginecologistas, de como aumentar suas chances de engravidar:

- Para engravidar, O ideal é ter relações sexuais o mais próximo possível do momento da ovulação, ou seja, quando o óvulo é liberado pelo ovário. Os espermatozóides conseguem sobreviver dentro do corpo da mulher por alguns dias, mas o óvulo só dura entre 12 e 24 horas. Como é difícil saber o momento exato da ovulação e para aumentar as chances de a concepção acontecer, o melhor é fazer sexo um ou dois dias antes da ovulação. Contudo, não precisa restringir o sexo para apenas um ou dois dias antes da data prevista para a ovulação. Estudos já mostraram que a mulher pode ficar grávida se tiver relações sexuais vários dias antes da ovulação.

- Especialistas em fertilidade recomendam que o casal faça sexo a cada dois ou três dias durante o ciclo inteiro, em vez de concentrar os esforços na época em que a ovulação deveria acontecer.

- Quem está tentando engravidar deve ficar atenta aos sinais de que a ovulação se aproxima. Eles podem começar a aparecer cerca de três semanas antes da data prevista para sua próxima menstruação, e são os seguintes: •Aumento da secreção vaginal, que assume uma textura parecida com a de clara de ovo, mais transparente e viscosa, à medida que a ovulação se aproxima; aumento do desejo sexual;Pontadas ou desconforto de um dos lados do baixo ventre, que podem piorar quando você se senta.

- Para ter exata certeza de que você está ovulando, existem também nas farmácias testes parecidos com os de gravidez, feitos com a urina, que detectam a elevação do hormônio da ovulação (LH). Também há técnicas de monitoramento da temperatura do corpo, antes de levantar da cama, de manhã – a chamada temperatura basal -, para perceber o leve aumento que indica que a ovulação está ocorrendo.

- Para mulheres que tem ciclos menstruais irregulares, e desejam engravidar logo, grande parte dos especialistas recomendam manter uma vida sexual ativa, com relações de duas a três vezes por semana, é o meio mais eficaz de aumentar as chances de engravidar. Mas, se após alguns meses não estiver tendo sucesso, especialmente se você tiver 35 anos ou mais, o indicado é conversar com o seu médico ginecologista, que vai detectar o problema e indicar o tratamento adequado para o seu caso.
 



A Nanda, do Blog Mamíferas, ajuda na arte de entender alguns termos técnicos muito utilizados por nós, obstetras, durante o pré-natal. Para se familiarizar!

Beta HCG (bhCG): É o hormônio que indica a gravidez. Aquele teste do xixi no palitinho mede esse hormônio na urina: se ele está lá em quantidade grande significa positivo. Mas esse teste, assim como aquele de sangue que você fez na emergência só para ter certeza, é um teste qualitativo, só para saber se tem ou não bhCG. O teste quantiativo mede a quantidade exata do hormônio no sangue, que varia de acordo com a idade gestacional.

Cálculos: Aprendemos, desde pequenos, que uma gravidez humana dura 9 meses. Quando ficamos grávidas, desaprendemos isso, pois uma gestação normal pode durar até 42 semanas (mais do que isso, só com monitoração frequente). Vamos lá: 1 mês tem 4 semanas em média, 42 semanas seriam 10 meses e meio! Mas como isso é possível? Assim, ó…

D.U.M (Data da última menstruação): É usada para calcular a idade gestacional da seguinte forma: uma mulher ovula, em média, 15 dias após o início da menstruação. O óvulo está viável, em média, por 2 dias, então dá para saber com quase exatidão a data em que o óvulo foi fecundado. Esse cálculo tem uma margem de erro relativamente grande, pois a mulher pode ter uma ovulação adiantada ou tardia. Então não use a DUM para agendar a cesárea, gatinha! Seu bebê pode ser até uma semana a menos do que você acha que ele tem… Uma mulher grávida de 38 semanas tem um bebê de 36 semanas dentro dela. Teoricamente, um bebê de 36 semanas já está pronto, mas ainda não tem maturidade pulmonar – por isso os bebês forçadamente nascidos às 38 semanas de gravidez costumam ter problemas respiratórios.

D.P.P. (Data Provável do Parto): O provável está aí por um motivo. Quando se mede a idade gestacional através da DUM, a DPP é fornecida calculando-se as 40 semanas de gestação consideradas normais. Então, um bebê nascido na ou próximo à DPP teria 38 semanas, que é considerado totalmente maduro. Mas totalmente maduro mesmo ele só estará se nascer sozinho, não adianta arrancá-lo quando ele provavelmente estaria.

U.S.: Ultra-som, ultrassom, ultrassonografia, ecografia. São realizadas de praxe 5 U.S. em uma gestação de baixo-risco (idade gestacional, Translucência Nucal, Morfológica, 32 semanas e 38 semanas), mas esse número poderia facilmente ser reduzido para 2 na minha humilde opinião: idade gestacional (e quantos fetos estão ali, né Tata?) no início da gravidez (não antes de 8 semanas, pois pode ser difícil ouvir o coração antes disso, causando preocupações desnecessárias), e morfológica.

Translucência Nucal (TN): É a medida de um liquidozinho acumulado na base da nuca do feto. Só pode ser medida entre 11 e 13 semanas de gestação, e uma alteração nessa medida pode indicar algumas síndromes, como Down, que precisam ser confirmadas com exames posteriores como a amniocentese. Mais sobre isso em breve lá no site.

Morfológica: A medida da TN é considerada a morfológica do primeiro trimestre, mas essa terminologia é mais utilizada para a U.S. realizada entre 18 e 24 semanas. Nesse exame normalmente descobre-se o sexo, caso esse seja o desejo dos pais. Nele também descobrem-se a maioria das alterações fisiológicas, pois os órgãos do feto já estão quase todos desenvolvidos.

Líquido Amniótico (I.L.A.): Meio no qual o feto fica suspenso durante a gestação. É ele que o feto ingere quando já possui boca e movimentos de sucção, e ele que é eliminado. É, o bebê ingere seu próprio xixi e cocô. Mas o líquido amniótico é estéril, assim como o xixi e o cocô do bebê também são – lá dentro. O líquido e o feto ficam contidos numa bolsa ligada à placenta pelo cordão umbilical. É a água que sai das mulheres nos filmes quando a bolsa rompe. Algumas mulheres apresentam I.L.A. baixo ao longo da gestação, que normalmente pode ser controlado com a ingestão de líquidos. Não se assuste se o seu I.L.A. diminuir ao final da gestação: é preciso que alguma coisa ceda espaço para o bebê crescer ali dentro.

Circular de cordão (bebê laçado, cordão enrolado, etc.): Ocorre quando os movimentos do feto dentro da barriga fazem com que o cordão umbilical enrosque-se em alguma parte do corpo. Uma circular de cordão nem sempre é ao redor do pescoço, e mesmo que seja, não irá matar seu bebê asfixiado: ele nem respira! Da mesma forma que ele se enroscou, ele pode se desenroscar – e provavelmente irá, até mesmo durante o parto. Circular de cordão é o maior conto da carochinha para o agendamento de cesáreas, pois são pouquíssimos os casos nos quais a circular irá causar um problema maior – caso o cordão seja curto, o que só pode ser verificado durante o parto – ou que exista um nó verdadeiro no cordão, que irá afetar o transporte de oxigênio para o bebê e irá causar alteração nos índices. Em todo caso, isso só pode ser verificado na hora do parto.

Primigesta: Refere-se à mulher em sua primeira gestação.

Primípara: Refere-se à mulher em seu primeiro parto. Notem que primigesta e primípara não são sinônimos, pois a mulher pode ter tido uma cesárea previamente, e o presente ser seu primeiro parto.
Ele me ensinou os valores preciosos. Obrigado, papai! Foto: www.pedroaugusto.blogspot.com